Início » Consumo de energia bate recorde em Goiás 

Consumo de energia bate recorde em Goiás 

de Antônio Paulino
560 visitas

Desde que os termômetros começaram a marcar temperaturas mais altas no Estado, a Equatorial Goiás tem identificado aumento no consumo médio residencial dos goianos. No mês de outubro houve um recorde, ficou em 225 kWh por instalação, o maior da história de Goiás, batendo o registrado em outubro de 2020, durante a pandemia, quando o consumo médio chegou a 200 kWh por instalação. 

Como uma nova onda de calor está prevista, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e do Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo), a Equatorial orienta que clientes adotem hábitos de economia durante esses dias mais quentes. Dados do Cimehgo mostram que o calor deve ficar mais intenso a partir do final de semana em Goiás. 

“Vale lembrar que em outubro de 2020 vivíamos uma pandemia, os clientes estavam passando por grandes mudanças nos hábitos de consumo, ficando mais tempo dentro de suas casas. Além disso, havia forte redução em outras classes de consumo, como poder público, já que boa parte das atividades passou a ser realizada remotamente”, lembra o executivo de Faturamento da Equatorial Goiás, Marcos Aurélio Silva.  

O executivo de Faturamento afirma que o consumo médio residencial registrado em outubro de 2023 representa um aumento de 18% quando comparado ao mesmo mês do ano passado e de 14% na comparação com o mês anterior, setembro, que foi considerado o mais quente do ano. “Esse crescimento se dá principalmente pelo forte calor, que aumenta o consumo de energia dos equipamentos refrigeradores e provoca fortes mudanças nos hábitos de consumo, como uso maior de ar-condicionado e ventiladores, assim como maior consumo de alimentos e bebidas refrigeradas”, comenta. 

Para se ter uma ideia, normalmente o consumo médio residencial dos goianos fica na faixa de 166 kWh. A onda de calor tem provocado sobrecarga na rede elétrica de todo o País. O Operador Nacional do Sistema (ONS) registrou aumento de 7,3% na demanda de carga em todo o Brasil no mês de setembro e prevê um crescimento de 7,6% em novembro. 

Marcos Aurélio ressalta que durante todo o ano de 2023 o cliente goiano está apresentando consumo médio residencial bem acima dos resultados de 2022. “Esse quadro pode ser justificado pelo crescimento do uso de aparelhos de ar-condicionado, que estão cada vez mais acessíveis para a população, pelo aumento da geração de energia solar, que reduz a preocupação do cliente com o consumo de energia, e também por conta da ausência das bandeiras tarifárias, que mantém o preço da energia mais baixo“, afirma. 

Vale lembrar que essa condição climática adversa, associada ao aumento do consumo, provoca desarmes nos disjuntores de entrada de prédios, condomínios e mesmo de residências que não estão dimensionados para esse crescimento no consumo de energia. Por isso, é importante que o cliente esteja atento à sua rede interna, que é de sua responsabilidade. 

Economia 

Nesse momento, o executivo recomenda cautela e consumo consciente, para que o cliente não se surpreenda com o valor da conta de energia. Isso porque o uso de equipamentos como ar condicionado e ventilador se torna cada vez mais frequente. Além disso, aparelhos refrigeradores, como geladeira, freezer e bebedouros, naturalmente consomem mais energia, pois os compressores precisam ser acionados com mais frequência para manter a temperatura para a qual estão programados. É preciso atenção e uso moderado para que não haja susto na hora de pagar a conta de energia. 

Marcos Aurélio orienta que para economizar energia os clientes devem adotar novos hábitos de consumo. “Medidas simples, como reduzir a temperatura do chuveiro, evitar usar o micro-ondas para descongelar alimentos e abrir a geladeira com menor frequência podem impactar significativamente no valor da conta. Também é importante verificar as instalações internas da residência periodicamente, pois instalações antigas, com fios velhos ou muitas emendas, causam desperdício de energia e podem até causar incêndios”, completa. 

Abaixo, algumas orientações que podem ajudar a economizar nesta época de calor: 

Ar-condicionado:  

– Ao adquirir novos equipamentos, escolha os modelos mais econômicos, com selo Procel de eficiência energética com classificação A, a mais econômica.  

– Evite entrada de sol no ambiente refrigerado e instale a unidade externa do aparelho (condensadora) em local com boa circulação de ar.   

– Ajuste a temperatura para 23°C ou mais. As temperaturas mais baixas podem não ser alcançadas e fazer o aparelho trabalhar o tempo todo em potência máxima.  

– Mantenha os filtros de ar limpos, bem como as grades de troca de calor da unidade externa (condensadora).  

– Compre o equipamento com potência adequada ao tamanho do ambiente onde pretende instalá-lo.   

– Um aparelho do tipo split, com potência entre 10.000 e 15.000 BTU’s, usado 8 horas por dia, consome em média 194 kWh no mês, que pode corresponder a mais de R$ 160,00 na conta de energia. Em períodos de condições extremas, como agora, o impacto na conta de energia pode ser bem maior. 

Geladeiras, freezers, adegas e cervejeiras:  

– Faça revisões periódicas, com profissionais capacitados, das borrachas de isolamento das portas e sensores de temperatura, para evitar consumo excessivo.  

– Organize os alimentos para que você possa encontrar o que você precisa rapidamente.  

– Evite abrir os equipamentos com frequência, pois o ar quente exige mais energia para resfriar e atingir novamente a temperatura ajustada.  

– Não utilize a parte de trás para secar objetos.   

– Degele e limpe a geladeira com frequência.   

– Não forre as prateleiras, isso dificulta a circulação interna do ar.   

– Instale o aparelho em um local bem ventilado, longe do fogão, aquecedor e áreas expostas ao sol.  

– Limpe a grade traseira da geladeira periodicamente. A gordura e sujeira que acumula nessa grade dificulta a troca de temperatura e provoca maior gasto de energia. Faça a limpeza com o equipamento desligado da energia e seguindo as orientações do fabricante. 

Chuveiro elétrico:  

– Feche a torneira para se ensaboar.   

– Tome banhos rápidos e, se possível, com a chave de temperatura na posição “verão”, o que pode reduzir o consumo em até 30%.   

– Compre sempre chuveiros de menor potência, preferencialmente até 4.000 Watts, que consomem menos.  

– Limpe com frequência os orifícios de saída de água. Se não estiverem limpos, haverá menos água e o chuveiro terá que ficar mais tempo ligado.   

  
Sobre a Equatorial Goiás  

A Equatorial Goiás é uma empresa que pertence à holding Equatorial Energia, 3º maior grupo de distribuição de energia do País, com 7 concessionárias que atendem cerca de 13 milhões de clientes. Somente em Goiás são cerca de 3,5 milhões de clientes, localizados em 237 municípios do Estado e abrangendo 98,7% do território estadual, com cobertura de uma área de 336.871 km². 

0 comentario
0

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário