INFRAESTRUTURA-NOVO
Início » Em Flores de Goiás, Gracinha Caiado anuncia ampliação de fruticultura irrigada e mais R$ 6 milhões em fomento para cadeias produtivas

Em Flores de Goiás, Gracinha Caiado anuncia ampliação de fruticultura irrigada e mais R$ 6 milhões em fomento para cadeias produtivas

de Antônio Paulino
1015 visitas

Iniciativa do Governo de Goiás, em parceria com prefeituras, entidades e Governo Federal, o Projeto de Fruticultura Irrigada do Vão do Paranã apresentou seus primeiros resultados nesta quarta-feira (20/03). Em evento em Flores de Goiás, a coordenadora do Goiás Social e primeira-dama do Estado, Gracinha Caiado, realizou a colheita simbólica de maracujá em uma das propriedades beneficiadas pelo projeto e destacou: “O que queremos é que todo assentado tenha condições de produzir e receber o rendimento da sua terra”.

Gracinha Caiado conversou com produtores e visitou uma das dez áreas já irrigadas para o cultivo de maracujá e manga. As frutas foram escolhidas estrategicamente para a região em função do formato do terreno, clima e volume de água disponível. Além de Flores, o projeto contempla os municípios de Formosa e São João D’Aliança. “É um sonho ver esse Nordeste Goiano produzindo, sendo referência no Brasil. A gente tem trabalhado todos os dias para isso”, afirmou a primeira-dama, que também inaugurou uma ponte de concreto na GO-236. A estrutura faz ligação do município a Alto Paraíso, Formosa e outras localidades.

*Fruticultura*

O projeto de irrigação é uma resposta ao compromisso do Governo de Goiás de corrigir distorções regionais, conforme explicou o titular da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás (Seapa), Pedro Leonardo Rezende. “A partir de 2020, a determinação era que pudéssemos elaborar e executar políticas públicas em favor do Nordeste goiano, que até pouco tempo atrás era considerado um dos maiores bolsões de pobreza do Brasil. Hoje, a realidade social foi transformada”, frisou. Os primeiros plantios irrigados tiveram início em dezembro de 2023.

A segunda etapa do projeto terá investimentos de R$ 8,3 milhões, com contrapartida da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), empresa pública vinculada ao Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional. “Vemos o potencial que nosso município tem nessa primeira colheita, que foi antecipada”, assinalou o prefeito de Flores de Goiás, Altran Avelar.

A área irrigada no Vão do Paranã tem capacidade de produzir 4,2 mil toneladas de maracujá e 6 mil toneladas de manga por ano. Beneficiária da ação, Luciana das Neves acredita que a irrigação permite uma vida melhor no assentamento rural. “O sonho era morar e trabalhar aqui. Até então não tinha sido possível porque a renda que tínhamos não era suficiente. Agora vamos viver bem”, disse, otimista. 

*Investimentos*

Ainda em Flores de Goiás, Gracinha Caiado participou de evento no ginásio municipal e anunciou cerca de R$ 6 milhões para impulsionar a produção agrícola local. A cidade receberá uma agroindústria para processamento de frutas com valor de R$ 5 milhões, empenhados do Fundo Protege Goiás, e uma Casa de Farinha e Goma no valor de R$ 200 mil. Serão investidos ainda R$ 663,7 mil para a criação da Casa do Mel, espaço que servirá de entreposto e beneficiamento de mel e produtos relacionados, como própolis e pólen. 

O objetivo é formalizar o Arranjo Produtivo Local (APL) da Apicultura no município, com capacitação profissional e assistência desde a produção até a comercialização. A ação inclui dois municípios parceiros: Flores de Goiás e Jandaia. “Quem quiser empreender ou ainda formar uma cooperativa, o Governo do Estado tem crédito, qualificação e todo o apoio que precisar”, afirmou o titular da Secretaria da Retomada, César Moura. Entre os benefícios previstos estão a aquisição de caminhão e equipamentos como tanques, centrífugas, envasadoras e extratores.

*Agro é Social*

Os moradores de Flores de Goiás também receberam certificados do Crédito Social e puderam se inscrever em cursos voltados para apicultura, horticultura e avicultura ministrados pelo projeto Agro é Social, que percorre o estado com serviços, formações e palestras para a população do campo. “Serão mais de 1,5 mil pessoas capacitadas em aproximadamente 20 municípios de todo o Nordeste goiano”, detalhou o presidente da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), Rafael Gouveia.

0 comentario
0

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário