Início » A marca de lingeries Duloren aproveitou a ação da PF contra o vereador Carlos Bolsonaro para fazer uma campanha de marketing ousada

A marca de lingeries Duloren aproveitou a ação da PF contra o vereador Carlos Bolsonaro para fazer uma campanha de marketing ousada

de Antônio Paulino
460 visitas

A empresa divulgou no Instagram imagens feitas pelo filho do ex-presidente, na manhã de segunda-feira (29), quando a PF cumpriu mandado de busca e apreensão em endereços ligados ao parlamentar no Rio de Janeiro.

A publicação mostra, na primeira imagem, uma sacola da Duloren filmada por Carlos Bolsonaro no quarto de um dos imóveis visitados pela polícia.

Na segunda imagem do post, a empresa manda um recado para a PF: “Sabemos que era isso que vocês procuravam”. A frase é acompanhada da foto de outra sacola da marca, esta repleta de calcinhas de renda.

Em 2011, a mesma marca de lingerie negociou com Jair Bolsonaro, na época deputado federal, para que o político fosse protagonista de um comercial da marca ao lado de uma modelo.

Houve o convite [da Duloren]. Primeiro me chamaram para fazer ao lado da ex-BBB [Ariadna Miranda, que é transsexual] e claro que eu não topei. Mas ao lado de uma mulher eu aceitei”, disse Bolsonaro na época.

De acordo com Jair, no comercial ele faria uma expressão de “maroto” ao lado de uma modelo – que estaria de calcinha e sutiã. A propaganda mostraria a frase “Esse kit eu aprovo”, referenciando os ataques do político à distribuição, pelo Ministério da Educação, do que se chamava na época de “kit gay”.

0 comentario
0

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário