Início » Empresário de Goiás é investigado por aplicar golpes com apostas esportivas; morador de Catalão está entre as vítimas

Empresário de Goiás é investigado por aplicar golpes com apostas esportivas; morador de Catalão está entre as vítimas

de Antônio Paulino
640 visitas

O empresário César Augusto, de 38 anos, conhecido como “César Imperador”, é investigado por estelionato em Goiás. Ao g1, uma vítima de Catalão, no sudeste goiano, disse que teve prejuízo de R$ 50 mil, após investir na casa de apostas criada por César, que mora em Anápolis, a 55 km de Goiânia.

“Depositei R$ 20 mil em janeiro e tive retorno. Em julho, depositei R$ 30 mil. Quando fomos receber em setembro, ele removeu todo mundo do grupo de apostadores, o site ficou fora do ar e desativou o Instagram”, descreveu.

A reportagem tentou contato com César por telefone, mas ele não atendeu, nem respondeu as mensagens.

O delegado Jean Arruda afirmou que o caso é investigado pela Polícia Civil. Aos clientes, César dizia ter 4 anos de experiência no mercado e prometia lucros de até 80% por cima dos valores investidos, além de garantir que 18 mil alunos estariam lucrando.

Um grupo de vítimas espalhadas pelo país tem cerca 500 participantes. Há comentários entre eles de prejuízos de até R$ 200 mil por pessoa, segundo o morador de Catalão que denunciou. A plataforma “Starbets” foi criada e era chefiada por ele, segundo os relatos das vítimas.

Nas redes sociais, César compartilhava vídeos e fotos de uma vida de luxo com carros e viagens internacionais. As vítimas acreditam que o empresário fugiu para outro país.

As apostas

Os clientes da casa podiam apostar entre R$ 100 e R$ 50 mil. Para cada valor, havia uma previsão de rendimento; veja a lista disponível em uma planilha enviada aos apostadores:

  • R$ 50 a R$ 500: 60% dos lucros para os clientes e 40% para a plataforma
  • R$ 1 mil a R$ 5 mil: 65% dos lucros para os clientes e 35% para a plataforma
  • R$ 10 mil a R$ 30 mil: 70% dos lucros para os clientes e 30% para a plataforma
  • Acima de R$ 50 mil: 80% dos lucros para os clientes e 20% para a plataforma.

O apostador de Catalão que procurou a polícia disse que os clientes podiam sacar os rendimentos entre os dias 1 e 16. No entanto, a parcela de setembro atrasou. César chegou a enviar um vídeo para tranquilizar os apostadores (assista abaixo).

“‘Tamo’ pagando gradativamente aos poucos. À medida que fomos crescendo, o banco fica segurando muito. Já estou organizando e deixando tudo ok pro dia 1”, disse César.

Com informações G1 Goiás

0 comentario
0

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário