Início » Facção criminosa CV montou rede de comunicação para auxiliar presos que fugiram da Penitenciária de Mossoró

Facção criminosa CV montou rede de comunicação para auxiliar presos que fugiram da Penitenciária de Mossoró

de Antônio Paulino
1937 visitas

O Comando Vermelho, em Mossoró, desenvolveu uma infraestrutura de comunicação para auxiliar os fugitivos Rogério da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento, incluindo fornecimento de chips e celulares.

O intuito era complicar o rastreamento da Polícia Federal (PF). Apesar disso, mesmo diante dessa “central telefônica”, as autoridades conseguiram identificar e monitorar esses contatos, delimitando uma área onde os fugitivos poderiam estar.

Apesar de oscilação das torres telefônicas na região, os policiais conseguiram localizá-los. Na abordagem conjunta das polícias Federal e Rodoviária Federal (PRF) em Marabá (PA), os fugitivos portavam oito celulares.

Além do suporte logístico, escolta, armamento e recursos financeiros que os fugitivos tinham acesso, os líderes do Comando Vermelho enfatizaram um compromisso: “quem está com eles não será abandonado”.

Os fugitivos foram recapturados na quinta-feira, 4, a uma distância de 1.600 km da penitenciária de onde escaparam em 14 de fevereiro. A fuga, realizada após a abertura de um buraco na cela, desencadeou uma série de medidas por parte das autoridades, incluindo a transferência de diversos detentos da prisão de Mossoró, incluindo Fernandinho Beira-Mar, uma das principais figuras do Comando Vermelho.

Segundo o portal Metrópoles, havia uma forte ligação familiar entre Rogério Mendonça da Silva e sua avó, Tereza Padilha Silva, 86 anos, o que auxiliou os investigadores na identificação do perímetro onde os criminosos poderiam estar. O uso dos celulares para contato com parentes, em especial para obter informações sobre a saúde da idosa, foi crucial para essa descoberta.

0 comentario
0

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário