Início » Alexandre de Moraes mantém prisão de catalano bolsonarista que destruiu relógio de D. João VI durante atos golpistas

Alexandre de Moraes mantém prisão de catalano bolsonarista que destruiu relógio de D. João VI durante atos golpistas

de Antônio Paulino
14833 visitas

Antônio Cláudio Alves Ferreira, o bolsonarista que quebrou o relógio histórico de Balthazar Martinot durante atos golpistas de 8 de janeiro, continuará preso no Presídio Professor Jacy De Assis, em Uberlândia. Ele está na unidade prisional desde 24 de janeiro de 2023.

A decisão foi do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, na quarta-feira, 03.

O pedido de soltura foi feito pela defesa de Ferreira após ele ser condenado a 17 anos de prisão, no dia 28 de junho. Ele é réu no STF por crimes como:

  • associação criminosa armada;
  • abolição violenta do Estado Democrático de Direito;
  • golpe de Estado;
  • dano qualificado pela violência e grave ameaça, com emprego de substância inflamável contra o patrimônio da União e com considerável prejuízo para a vítima.

Durante o processo, o réu, que é natural de Catalão (GO), prestou depoimento e confessou que esteve no Palácio do Planalto e danificou o relógio. Após os atos golpistas, Ferreira fugiu para Uberlândia e foi preso na cidade mineira pela Polícia Federal.

O relógio é feito de casco de tartaruga e com um tipo de bronze que não é fabricado há dezenas de anos. No começo de 2024, a peça foi enviada para restauração na Suíça.

0 comentario
0

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário