Início » Em Luziânia, homem mata pets para forçar companheira e responder mensagens no WhatsApp

Em Luziânia, homem mata pets para forçar companheira e responder mensagens no WhatsApp

de Antônio Paulino
902 visitas

Um homem de 45 anos foi preso por matar animais de estimação da companheira e enviar as imagens dos massacres para que a vítima, de 47 anos, respondesse suas mensagens e atendesse as ligações dele. Caso ocorreu em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. A prisão foi nesta segunda-feira, 20, depois que a mulher procurou a delegacia para denunciar o marido por ameaça.

Segundo o delegado Rony Loureiro, no momento em que ela estava comunicando os fatos na delegacia, o criminoso passou a enviar mensagens, via WhatsApp, com fotos dos animais de estimação dela. Nas imagens, o homem aparece segurando o coelho de estimação da vítima pelas orelhas e, em seguida, o mesmo animal apareceu morto dentro de uma sacola. Um cachorro e algumas calopsitas, que foram decapitadas, também tiveram imagens dos corpos enviados à tutora.

Ela saiu de casa no sábado, 18, depois de sofrer ameaças do companheiro. Nesta segunda, ela usou as redes sociais e começou. Ele percebeu e, então, começou a mandar mensagens e fazer ligações insistentes a ela. Como ela não atendeu, para forçar a conversa, ele ateou fogo nas roupas dela e mandou fotos. Ele ameaçou abater os animais e começou a enviar fotos deles vivos e depois mortos”, explicou.

Tratamento de depressão

A vítima criava os animais como uma forma de tratar uma depressão. Ao ver as fotos, a mulher entrou em desespero, de acordo com Rony. Os policiais localizaram o suspeito na Rodoviária de Luziânia. O agressor foi autuado em flagrante por ameaça, injúria, dano e maus-tratos a animais.

No momento da abordagem ele fugiu, passando por lotes baldios e residências que não possuem muro. Ele foi encontrado em uma região de mata e preso. É possível falar que ela passou por uma espécie de tortura psicológica a cada imagem de seus anuais de estimação vivos e depois mortos, porque não atendia às ligações do agressor”, concluiu. 

0 comentario
0

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário