Início » “Goiás não tem nenhum palmo de terra sob comando de facções ou milícias”, destaca Caiado em congresso sobre desafios nacionais

“Goiás não tem nenhum palmo de terra sob comando de facções ou milícias”, destaca Caiado em congresso sobre desafios nacionais

de Antônio Paulino
538 visitas

O governador Ronaldo Caiado participou nesta sexta-feira (27/10) do 1º Congresso Harpia Brasil de Discussão dos Problemas Brasileiros. O evento reuniu, em Goiânia, diversas lideranças políticas, incluindo o ex-presidente Jair Bolsonaro, para discussões sobre temas que afetam o futuro do país. Caiado analisou a situação da segurança pública nacional. “O Brasil começa a correr risco, como o México, Venezuela, Colômbia e outros países que estão sob influência do narcotráfico”, alertou o governador. 

Para o chefe do Executivo goiano o avanço das facções criminosas em alguns estados, como Rio de Janeiro, que vive uma crise na segurança, é preocupante. “Não existe estado democrático de direito, não existe liberdade, se não há segurança no país”, ponderou Caiado, que traçou um comparativo entre a realidade nacional e os índices criminais no estado.

Goiás é uma exceção, é o único estado onde não se tem nenhum palmo de terra vinculado sob comando ou tutela de facções ou de milícias. Nossa polícia é a melhor do país, temos o controle total do Estado e reduzimos drasticamente os índices criminais”, afirmou Caiado ao pontuar que, desde 2019, Goiás não registrou nenhum caso de assalto a banco.

*Economia*

Caiado também falou do cenário econômico e chamou a atenção para a apreciação do texto da reforma tributária no Senado Federal, após a conclusão do relatório. O governador voltou a reforçar o comprometimento em preservar a autonomia dos estados na administração dos recursos arrecadados. A reforma estabelece a criação de um comitê responsável pela gestão da arrecadação de todos os impostos: municipais, estaduais e federais.

“Isso é uma agressão à cláusula pétrea da Constituição. Eu que recebi votos dos goianos e fui eleito, não posso admitir que um técnico diga o que eu vou receber para gerenciar. O governador tem de ter autonomia para governar, isso é prerrogativa constitucional”, ressaltou. O chefe do Executivo goiano também criticou o fim dos fundos regionais, a exemplo do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste. “Não podemos admitir perder o que temos de investimento e de liberdade econômica”, completou.

O ex-presidente Jair Bolsonaro também avaliou o cenário do Brasil pós-pandemia e a questão tributária. Ele enalteceu a liderança de Caiado nos debates em torno da reforma e disse concordar com as ponderações do gestor goiano. “O governador Caiado criticou desde o início a reforma tributária, assim como eu fiz”, disse Bolsonaro, que questionou o aumento da carga tributária. “Quanto mais se aumenta imposto, menos se arrecada porque é um convite à sonegação. Com percentual menor de imposto é possível arrecadar mais”, afirmou.

*Congresso*

O evento foi organizado pelo Instituto Harpia Brasil, presidido pelo ex-deputado federal Major Vitor Hugo. A programação inclui cinco mesas de discussão: “Inserção internacional atual do Brasil”; “Desafio Brasileiro no Campo Social”; “Perspectivas econômicas do Brasil nas próximas décadas”; “Segurança e defesa, desafios e perspectivas” e “A política como meio de transformação da realidade”. O senador Wilder Morais, que falou sobre os investimentos em infraestrutura no Brasil, elogiou a iniciativa do evento. “Essa é uma oportunidade de as pessoas terem conhecimento e desenvolver o interesse pela política”, ressaltou.

*Visita ao Batalhão do Choque*

Após o encerramento das palestras, o ex-presidente Bolsonaro visitou o Batalhão da Polícia Militar de Choque, no Setor Marista. Acompanhado pelo governador Ronaldo Caiado, Bolsonaro foi apresentado às tropas, conheceu o memorial da PM e a estrutura operacional do batalhão, além de assistir a apresentações dos militares do Choque.

0 comentario
1

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário