Início » Governo de Goiás convoca população para vacinar cães e gatos contra raiva

Governo de Goiás convoca população para vacinar cães e gatos contra raiva

de Antônio Paulino
295 visitas

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), convoca a população goiana a participar da Campanha de Vacinação contra a Raiva Animal 2023. Neste sábado (23/09), municípios como Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, Rio Verde, Caldas Novas, Cidade Ocidental, Cristalina, Novo Gama e Valparaíso realizam mutirões de imunização. A campanha começou em agosto com vacinação de animais na zona rural e segue até o dia 31 de outubro.

Em Goiás, a população estimada de cães e gatos é de 1.250.000 e a meta é vacinar 80% desse total, conforme as metas estipuladas pelo Ministério da Saúde. Assim como em anos anteriores, os municípios são responsáveis por definir as estratégias adotadas para a campanha, estabelecendo datas e horários. Os moradores da capital com mais de cinco animais podem realizar o agendamento da vacinação e alguns municípios disponibilizam ainda postos fixos, com funcionamento durante a semana.  

A campanha de vacinação tem como objetivo principal prevenir a raiva humana. “Isso se dá por meio do controle da doença em cães e gatos, que são os principais transmissores da doença e os animais mais próximos das pessoas. A vacinação antirrábica ainda é a única forma de prevenir a raiva nesses animais”, pontua o coordenador Estadual de Zoonoses e médico veterinário, Fabrício Augusto de Sousa. 

Em Goiás, a última notificação da doença em humanos, transmitida pela variante 2 (canina), ocorreu em 2001. Já o último registro de raiva canina foi em 2002. “Ou seja, não temos casos de raiva humana e canina transmitida pela variante dos cães há mais de 20 anos. Os últimos casos de raiva humana, canina ou felina registrados em Goiás foram transmitidos pela variante dos morcegos”, explica o coordenador da SES. 

As coberturas vacinais contra a raiva, contudo, vem apresentando queda nos últimos anos, com média de 67,04% em 2020, 68,04% em 2021 e 71,92% em 2022. De acordo com o médico veterinário, os números podem estar relacionados às medidas de distanciamento social durante a pandemia de Covid-19. 

Além da campanha de vacinação, a Coordenação de Zoonoses da Gerência de Vigilância Epidemiológica de Doenças Transmissíveis da Superintendência de Vigilância em Saúde (Suvisa/SES-GO) atua rotineiramente com atendimento de indivíduos expostos ao risco da doença, com o monitoramento das notificações e a distribuição de imunobiológicos (vacinas e soros). A pasta ainda realiza o diagnóstico de animais suspeitos de terem raiva com o objetivo de monitorar a circulação do vírus, o bloqueio de focos em casos de raiva animal, além de promover ações permanentes de educação e promoção à saúde.

*A doença*

A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, causada pelo vírus do gênero Lyssavirus, com letalidade próxima a 100%. A doença pode ser transmitida ao ser humano por meio de mordedura, lambedura ou arranhadura de animais contaminados. Além de cães e gatos, bovinos, equinos, suínos, macacos, morcegos e animais silvestres também podem transmitir a raiva. Os animais com suspeita da doença apresentam sintomas como salivação espessa e excessiva, paralisia, falta de apetite, hidrofobia, fotofobia, dilatação das pupilas, além de alterações de comportamento, como agressividade, autoataque, cansaço e reclusão em locais escuros.

0 comentario
0

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário