Início » Casos de dengue registram queda, mas internações preocupam

Casos de dengue registram queda, mas internações preocupam

de Antônio Paulino
3729 visitas

O Governo de Goiás reforça o alerta para a dengue. A Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (25/04), informou que, mesmo com a redução do número de casos, em 22,65% entre as semanas 12 e 15 deste ano, as internações seguem avançando. Desde o início do ano já são 2.684  internações, enquanto que no mesmo período de 2023 foram 153.

A queda do número de notificações da dengue não significa redução de internação. Portanto, a população deve redobrar os cuidados com relação à prevenção da doença. Nos primeiros sintomas, é importante o paciente procurar as unidades básicas de saúde, as unidades de pronto atendimento, para começar a hidratação correta e as indicações pertinentes o quanto antes. Isso possibilita que o caso não se agrave e haja menos internação”, recomenda a superintendente de Regulação, Controle e Avaliação da SES, Amanda Limongi.

A gestora lembra que o cenário é também de preocupação diante da ocorrência de chuvas, temperaturas altas, com vírus da dengue e chikungunya em circulação simultânea. Este ano, foram notificados 240.150 casos de dengue. Desses, 120.193 foram confirmados e 135 mortes  registradas. Outros 150 óbitos por dengue ainda estão em investigação. 

A superintendente de Vigilância em Saúde da SES-GO, Flúvia Amorim, afirma que a gravidade do cenário atual é pior do que o verificado em 2022, quando foram confirmados, no ano todo, 193.782 casos e 182 óbitos pela doença. Ela ainda alerta que a vacina é o meio mais eficaz de prevenir internações, tanto de dengue como de doenças respiratórias. “Exatamente pela diminuição do número de pessoas vacinadas nos anos anteriores para gripe e covid-19, por exemplo, que hoje temos esse aumento de casos de doenças respiratórias e de sua gravidade”, pontua.

Atualmente, o percentual de vacinação contra a dengue é de mais de 90%, com aplicação de 148.098 doses enviadas pelo Ministério da Saúde.  “Contudo, temos cerca de 10% de doses disponíveis. As pessoas precisam procurar um posto de vacinação. Lembrando que, para esse lote específico, foi liberada a vacina para pessoas de 4 a 59 anos de idade”, ressalta Flúvia.

*Investimento

O Governo de Goiás destinou mais de R$ 5 milhões aos municípios para aquisição de medicamentos para o tratamento da dengue e chikungunya. A medida é executada pelo Gabinete de Combate as Arboviroses. Cerca de 100 cidades com alto e médio risco para as doenças já receberam mais de R$ 270 mil em produtos como soros (cloreto de sódio injetado), dipirona sódica (comprimido, solução oral e injetável) e sais para hidratação. São enviados ainda repelentes, equipamentos de proteção individuais, materiais impressos informativos e educativos (como banners e cartazes), além de cartões para controle dos casos. 

0 comentario
0

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário